Nada melhor para consolidar a nossa fé que a convicção profundamente gravada nas nossa alma de que nada é impossível a Deus.
  Principal
  História da Paróquia
  História da Santa
  Programação
  Galeria de fotos
  Vídeos
  Capelas
  Celebração
  Missa
  Orações
  Sacramentos
  Terço
  Conhecimento
  Bíblia
  Doutrina Social
  Glossário
  Liturgia Diária
  O Santo do Dia
  Hoje na História
  Liturgia das Horas
  Informações
  Links
  Contato
Glossário Católico S-T-U
S
SACRAMENTO Ritual destinado a santificar os homens, é o sinal visível da graça.

SACRIFÍCIO Nas religiões antigas era comum o sacrificar às divindades para conseguir uma benevolência ou mesmo agradecer algum benefício obtido, já no Antigo Testamento aparece a oferta de animais ou de produtos da terra a Deus. Os sacrifícios humanos também aconteciam, mas foram suspensos quando Abraão, prestes a sacrificar seu próprio filho, Isaac, tem a visão de um anjo que o impede de consumar o fato. Para o Novo Testamento a morte de Cristo significou um sacrifício de expiação para os cristãos.

SACRISTIA Local da igreja onde se guardam objetos sacros.

SALMO Denomina-se salmo uma coleção de 150 cânticos que devem ser acompanhados com instrumentos de corda. Há os salmos de louvor, de ação de graças, penitenciais, de lamentação e alguns messiânicos, formando, assim, um gênero literário e uma fonte de inspiração religiosa.

SALVAÇÃO Acesso do homem à vida eterna através da libertação do pecado e do sofrimento.

SANGUINIUM Pequena peça de pano que o sacerdote se utiliza para lavar e enxugar os Cálices Sagrados depois da Consagração do vinho na missa.

SANTO No Antigo Testamento é considerado santo todo aquele que é consagrado a Deus. Depois do século XVI passou a designar a pessoa que vive dentro dos ensinamentos católicos. O culto dos santos nasceu do culto dos mártires no século II.

SANTUÁRIO Local dedicado ao culto divino.

SCHOLA CANTORUM Na basílica paleocristã, a "schola cantorum" é o espaço que está em frente ao altar, reservado aos cantores ou a outros participantes dos ritos e delimitado por plúteos ou balaustradas dispostos em planta retangular, como, por exemplo, em São Clemente e em Santa Sabina, em Roma. Dos dois lados longitudinais do recinto encontravam-se, às vezes, dois balcões chamados ambões a que se tinha acesso mediante uma escadinha e de onde se faziam as leituras ou se cantava. As funções, depois do início da Idade Média, foram transferidas para o coro e coral. Desde o início da liturgia católica é também chamado de schola cantorum o grupo de cantores e a instituição de que eles fazem parte.
SÉ É a igreja-mãe de uma arquidiocese, a sede oficial do governo eclesiástico dentro de uma determinada circunscrição. É a coordenadora das atividades das igrejas a ela filiadas.

SÉDIA GESTATÓRIA Espécie de grande trono onde se senta o Romano Pontífice em ocasiões especiais. É carregado por auxiliares do Papa.

SOBREPELIZ Na liturgia católica, a sobrepeliz é uma túnica branca de linho ou algodão que vai até os joelhos, com amplas mangas, usada pelos clérigos e pelos sacerdotes nos ritos fora da missa. Seu simbolismo é variado: nas palavras com que o bispo a impõe ao clérigo que recebe a tonsura, a fórmula do pontifical faz referência ao candor que representa o estado de graça da alma.

SOLIDÉU Consiste em uma pequena touca parecida com o kipá judaico que é usada por diversos religiosos, inclusive o papa, os cardeais, bispos, arcebispos, prelados e abades da Igreja.

SUMA TEOLÓGICA Obra que apresenta o saber teológico dos séculos XIII e XVI.
T

TABERNÁCULO Entre os antigos hebreus, o tabernáculo era o santuário portátil que continha as tábuas da Lei. Na Igreja cristã, a partir do século XII, chamava-se tabernáculo o nicho fechado que continha a Eucaristia, inicialmente na parede junto ao altar e depois colocado sobre o próprio altar (cibório), disposição que se tornou obrigatória por ato do papa Paulo V, em 1614. Em sua forma externa, o tabernáculo pode ter estrutura diferente, mas deve respeitar algumas normas básicas, como a de ter uma só porta, ser iluminado pelo lado de fora e ser coberto por um pano (conopéu) com a cor litúrgica do dia.

TEOLOGIA
Conhecimento das coisas divinas em geral ou ciência das verdades reveladas por Deus.

TERÇO
É a terça parte do rosário.

TRANSEPTO
Nas basílicas cristãs e em muitas igrejas de planta longitudinal, é o espaço disposto ortogonalmente ao eixo maior, compreendido entre a abside, o coro e as naves.

TRANSUBSTANCIAÇÃO
É um termo introduzido pelos teólogos da Idade Média e depois aceito na linguagem dos documentos oficiais do magistério eclesiástico até sua canonização no decreto sobre a Eucaristia do concílio de Trento, para exprimir da maneira mais correta possível a transformação em virtude da qual o pão e o vinho preparados para a Eucaristia tornam-se no momento da consagração o corpo e o sangue de Cristo. A fé dos cristãos, lembrados do gesto realizado por Jesus na última ceia e obedientes a seu convite de renová-lo sempre, confessa que, quando sobre o pão e o vinho eucarísticos são pronunciadas pelo sacerdote as palavras de Jesus, o poder criador infalível daquelas palavras é tal que operam a transformação que indicam. Os dois elementos deixam de ser pão e vinho e tornam-se o que são declarados na fórmula-narração da consagração: "Isto é o meu corpo"; "Este é o cálice do meu sangue". É bom lembrar que "exprimir" não equivale a "explicar".

TRINDADE
A crença na Trindade é o fundamento da fé cristã. Muito resumidamente, explica-se a Trindade como fé dos cristãos em um só Deus, que é Pai, Filho e Espírito Santo. Essa é a base do monoteísmo cristão, que se fundamenta na explicação de que Deus é “um só Deus em três pessoas distintas numa única substância” (Concílio de Nicéia, ano 325, e de Constantinopla, 381).

TURÍBULO
O turíbulo é um recipiente de metal em que se queimam perfumes com finalidade religiosa. Conhecem-se turíbulos de diversas formas e dimensões, que, no entanto, reduzem-se a dois tipos: um fixo, em forma de pequena bacia com suporte, outro móvel em forma de lata com tampa furada e às vezes oscilante mediante o emprego de correntes.

U

UNÇÃO Ação de ungir. Os hebreus faziam unções na consagração dos sacerdotes, dos reis e dos altares.